Ambiente Externo

O ambiente externo à organização é o conjunto de indivíduos, grupos e organizações que se encontram no meio exterior da organização e que influenciam e são influenciados por ela. A nível geral o ambiente à organização é composto pelas seguintes componentes:

Componente Económica indica-nos como os recursos são distribuídos e utilizados no próprio ambiente;

Componente Social descreve-nos as características da sociedade onde a organização está inserida;

Componente Político compreende todos os factores Politico-Governamentais;

Componente Legal consiste em toda a legislação em vigor que todos os membros da sociedade devem seguir;

Componente Tecnológica consiste na aplicação sistemática de conhecimento científico a um novo produto, processo ou serviço.

A nível operacional do ambiente à organização este é composto pelas seguintes componentes:

Cliente é o elementos que compra os produtos ou serviços disponiilizados pela empresa;

Concorrência consiste no conjunto de empresas que comercialização produtos ou serviços idênticos aos da empresa em questão;

Mão-de-obra consiste nos factores humanos disponíveis para desempenhar as tarefas necessárias;

Fornecedor é o elemento que fornece produtos ou serviços adquiridos pela empresa que posteriormente os transforma no processo produtivo em mercadorias ou serviços finais;

Internacional compreende todas as implicações internacionais das operações organizacionais.

A análise do ambiente compreende os seguintes passos:

Compreender a natureza do ambiente - Como primeiro passo, é útil dar uma vista de olhos inicial à natureza do ambiente da empresa em termos de quão incerta ela é. É relativamente estática ou mostra sinais de mudança? De que modo? É de compreensão simples ou complexa? Este passo auxilia a decidir qual a focalização adequada para a restante análise.

Auditoria às influências ambientais – neste passo, pretende-se identificar quais as influências macro-ambientais que tendem a afectar o desenvolvimento e desempenho da empresa. Pode efectuar-se tendo em consideração a forma como as influências políticas, sociais e tecnológicas atingem a organização. É cada vez mais útil relacionar estas influências com as tendências de crescimento no sentido da globalização das indústrias. A construção de situações ou cenários pode ser de grande ajuda, uma vez que, tem em conta a extensão em que as estratégias podem ter de ser alteradas.

Identificar as forças competitivas mais importantes–neste passo, a focalização é redireccionada de modo a identificar o ambiente imediato da empresa, por exemplo, o ambiente competitivo em a empresa opera. A Análise das Cinco forças visa identificar as forças-chave em funcionamento no ambiente imediato ou competitivo e compreender porque são significativas. Através destes passos deve emergir a visão dos desenvolvimentos realmente importantes que ocorrem em torno da organização. Pode acontecer que os acontecimentos excepcionalmente significativos sejam muito poucos, ou pode acontecer que existam vários acontecimentos interligados.

Identificar a posição competitiva mais importante – O quarto passo consiste na análise da posição competitiva da empresa, no que diz respeito à forma como se comporta perante as outras empresas que competem pelos mesmos recursos, clientes, etc. Esta análise pode ser feita de vários modos, nomeadamente: análise estratégica do grupo, que situa as organizações em termos de similaridades e diferenças das estratégias seguidas; análise dos segmentos de mercado, que procura estabelecer os segmentos de mercado que parecem mais atractivos; análise da concorrência e análise da atractividade, que situam o posicionamento competitivo da organização relativamente à atractividade do mercado em que opera. O objectivo de toda esta análise é o de identificar e compreender quais as oportunidades de que a empresa pode retirar proveito e quais as ameaças que terá de enfrentar ou circundar; identificar e compreender quais as necessidades que devem ser consideradas em termos dos recursos e competências da organização (pontos fortes e pontos fracos) que podem contribuir para a escolha estratégica.